EUA consideram eficaz vacina de dose única da Johnson & Johnson

A vacina de dose única da Johnson & Johnson mostrou-se segura e eficaz, segundo confirmaram os investigadores da Food and Drug Administration (FDA). A autoridade do medicamento norte-americana deu parecer favorável a esta vacina que, segundo os reguladores, também pode reduzir a transmissibilidade do vírus.

A eficácia da vacina é de 85,9 por cento contra as formas graves da doença nos Estados Unidos e é igualmente eficaz contra essas formas graves em 81,7 por cento na África do Sul e 87,6 por cento no Brasil.

A Agência de Medicamentos e Produtos Alimentares (FDA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos estudou independentemente os resultados de ensaios clínicos conduzidos em cerca de 44 mil pessoas, em vários países, e conclui que a vacina Johnson & Johnson tem “benefícios conhecidos” na redução de doença grave e sintomática.
 
“As análises validam um perfil de segurança favorável sem preocupações específicas identificadas que possam impedir a emissão de uma autorização de utilização de emergência”, lê-se num documento do regulador norte-americano.
 
De acordo com os dados publicados na quarta-feira pela agência norte-americana, esta vacina é segura, promove uma boa resposta imunitária com uma única toma e mostrou-se 66 por cento eficaz contra as múltiplas variantes.

A eficácia da vacina apresentou ainda variações de 72 por cento nos EUA, 66 por cento na América Latina e 57 por cento na África do Sul, embora tenha sido 85 por cento eficaz de um modo geral na prevenção de casos graves da doença. Ou seja, os resultados dos testes revelaram que a eficácia contra os mais graves casos de infeção foi “similarmente alta”, mas a proteção geral foi menor na África do Sul e no Brasil, onde as variantes do vírus se tornaram dominantes.

O mesmo estudo indicou também que existe uma eficácia mais baixa, de 42,3 por cento, para pessoas com mais de 60 anos com fatores de risco associados, como doenças cardíacas ou diabetes. Todavia, esse número resultou de uma grande incerteza estatística, observou a FDA.
 
No total e apesar de não ter um nível de eficácia tão elevado como a da Pfizer, AstraZeneca ou Moderna, a vacina produzida pela Johnson & Johnson apresenta um nível de eficácia de 66 por cento para prevenir casos moderados e severos de coronavírus.
 
A informação divulgada sobre os ensaios clínicos indica a eficácia da vacina 28 dias após a inoculação e confirma os anteriores comunicados pela empresa farmacêutica.

Search

Author: 97.3 FM, WJFD

WJFD 97.3 is the only 50,000-watts FM radio station in the United States broadcasting in the Portuguese language 24/7/365. Massachusetts, Rhode Island, New Hampshire, Connecticut, Maine and Long Island (NY)